CF 2017: Biomas brasileiros e Defesa da Vida na Escola (VER)

Educação • 13/02/2017

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 2017:

Biomas brasileiros e defesa da vida na Escola

Pastoral Escolar Vicentina – Província de Curitiba

 

Desde sua origem na década de 1960, a Campanha da Fraternidade (CF) é um dos projetos pastorais mais expressivos da Igreja Católica no Brasil. As temáticas anuais, escolhidas a partir das demandas e urgências da realidade sociocultural brasileira, explicitam o compromisso social da fé cristã. Esse envolvimento encontra sua referência espiritual e teológica no Ensino Social da Igreja – também conhecido como Doutrina Social da Igreja (DSI). Esta corresponde a um conjunto de princípios éticos, fundamentados no Evangelho, que tem o intuito de orientar as comunidades cristãs quanto à sua presença e atuação na sociedade. Economia, política, cultura, ecologia, entre outros, são aspectos da vida social dos quais o Ensino Social se ocupa, na convicção de que existe uma mútua dependência entre o aperfeiçoamento da pessoa humana, cuja dignidade é um dos princípios fundamentais da DSI, e o desenvolvimento da sociedade. A vida humana possui, assim, uma dimensão social (cf. Gaudium et Spes – GS, 25) e é nesta lógica que somos chamados/as a refletir e dinamizar as CFs.

Como proposta de diálogo entre Igreja e sociedade, a CF envolve diferentes interlocutores, tais como comunidades de fé, organismos socioeclesiais, instâncias públicas e não-governamentais. Cabe um destaque às quatro edições da Campanha da Fraternidade Ecumênicas (2000, 2005, 2010 e 2016) que, além de explicitarem a ecumenicidade da fé como elemento identitário das igrejas, reuniu-as em torno de projetos e ações voltados para o bem comum e a justiça social. A CF provoca as igrejas e comunidades cristãs a pensar e testemunhar a fé para além de seus guetos confessionais, deixando-se interpelar pelas situações que ferem e ameaçam a vida do povo, contradizendo o projeto de vida que Deus para ele.

Em sintonia com edições anteriores[1], a CF 2017 convida, de modo mais imediato os/as cristãos/ãs, e toda sociedade a refletir sobre os biomas brasileiros, cuja diversidade expressa a beleza e riqueza dos recursos naturais e socioculturais do país e, ao mesmo tempo, dá a conhecer a vulnerabilidade e exploração irresponsável a que estão expostos. Nesta perspectiva, convida pessoas, igrejas, tradições religiosas e sociedade a uma efetiva atitude de defesa da vida, na consciência de que, por chamado divino, nossa missão-vocação em relação à criação é “cultivar e guardar” (cf. Gn 2.15).

O desafio de toda CF é superar uma abordagem informativa e conceitual, e promover um envolvimento estrutural que seja efetivo e permanente. Não basta constatar a situação; é preciso dispor-se a um movimento conjunto e integrado que, assumindo os riscos e consequências da ação, traduzam a fraternidade em uma práxis libertadora. Neste sentido, reflexão e ação, dimensões imprescindíveis de toda ação pastoral, se apresentam como passos simultâneos a serem dados no tempo forte da Campanha, vivido na Quaresma, e para além dele. Na perspectiva de uma “Igreja em saída”, o estado de campanha relembra à Igreja de Cristo sua vocação missionária, fundada no testemunho e na promoção do Reino que, na atualidade, passa necessariamente pela escuta atenta dos apelos da Criação. Em sintonia com esta proposta, o ambiente e o projeto educativo se configuram como um espaço privilegiado para um aprofundamento propositivo da CF 2017 na escola e para além dela.

Confira o texto completo em: www.filhasdacaridade.com.br/downloads/CF2017_EV_1.pdf



[1] Cf. Texto-base, p. 19-21.