Encontro do Papa com os idosos na Praça de São Pedro

Social • 23/12/2014

Encontro do Papa com os idosos na Praça de São Pedro

Dia 28 de setembro de 2014

O Papa Francisco promoveu a I Jornada Mundial das pessoas idosas e avós. Esta aconteceu no dia 28 de setembro na Praça de São Pedro em Roma com o tema: “A bênção de uma vida longa”. Por graça de Deus a Pastoral da Pessoa Idosa foi agraciada com passagens e estadia por isso foi possível participar. Partilho com as Irmãs da Província desta graça, contando-lhes um pouco de como foi essa jornada.

Primeiramente, tivemos a graça de conhecer a casa Santa Marta, onde as Filhas da Caridade residem e trabalham desde 1884 e onde reside também o Papa Francisco. A Ir. Claudia Conti, Servente da Santa Marta, foi extremamente gentil. Nos acolheu e nos mostrou a casa, principalmente a capela, onde pudemos rezar e ver onde o Papa celebra a Missa diariamente, as 7 horas da manhã e de onde fala para o mundo, sempre tão iluminado.

Me acompanhou a Ir. Ketty Folli, uma Irmã italiana que trabalha comigo na pastoral, das Irmãs dos Pobres, que na época estava de férias com sua família na Itália. Foi uma grande ajuda, pois facilitou as coisas por falar o italiano e assim foi possível agendar com antecedência a visita à Casa Santa Marta.

Pude também dar uma entrevista na Rádio Vaticano para apresentar o trabalho da Pastoral da Pessoa Idosa, Organismo vinculado à CNBB. E no domingo, dia 28, muito cedo, ainda escuro, fomos para a Praça de São Pedro para garantir um bom lugar. Valeu o sacrifício porque conseguimos ficar na primeira fileira e acompanhar tudo bem de perto.

Iniciou com apresentações de personagens bíblicos idosos, que eram intercalados com cantores ao vivo, entre eles Andrea Bocelli, o famoso tenor italiano.

As 9h00 chegou na Praça o Papa emérito Bento XVI, muito aplaudido. A programação continuou até a chegada do Papa Francisco que aconteceu as 9h30. Neste momento, com a Praça totalmente tomada pela multidão, foi possível acompanhar com emoção o encontro dos dois Papas. Após esse emocionante e muito aplaudido encontro entre os dois, a programação continuou com diversos testemunhos de pessoas idosas de vários países.  

E as 10h30 iniciou a Santa Missa presidida pelo Papa Francisco e concelebrada por muitos Sacerdotes.

Destaques do discurso do Papa Francisco

O Papa Francisco iniciou fazendo menção ao Papa Bento XVI e assim se expressou: “Eu disse já inúmeras vezes que gostava muito de o ter morando aqui no Vaticano, porque é como ter o avô sábio em casa”.

“As pessoas idosas que têm fé são como árvores que continuam a dar fruto”.

“De modo particular, a velhice é um tempo de graça, no qual o Senhor nos renova a sua chamada: chama-nos a guardar e transmitir a fé, chama-nos a rezar, especialmente a interceder; chama-nos a ser solidários com os necessitados... Os idosos, os avós têm uma capacidade particular de compreender as situações mais difíceis: uma grande capacidade! E, quando rezam por estas situações, a sua oração é forte, é poderosa!”

“Aos avós, que receberam a bênção de ver os filhos dos filhos (cf. Sal 128/127, 6), está confiada uma grande tarefa: transmitir a experiência da vida, a história duma família, duma comunidade, dum povo; partilhar, com simplicidade, uma sabedoria e a própria fé, que é a herança mais preciosa! Felizes aquelas famílias que têm os avós perto! O avô é pai duas vezes e a avó é mãe duas vezes. Nos países, onde grassou cruelmente a perseguição religiosa, foram os avós que levaram as crianças para ser batizadas às escondidas, foram os avós que lhes deram a fé. Valentes! Foram valentes na perseguição e salvaram a fé naqueles países!”

Mas, nem sempre o idoso, o avô, a avó, tem uma família que o possa acolher. E então são bem-vindas as casas para os idosos... contanto que sejam verdadeiramente casas, e não prisões! E sejam para os idosos, não para servir os interesses de outra pessoa qualquer! Não deve haver instituições onde os idosos vivam esquecidos, como que escondidos, negligenciados. Sinto-me solidário com os inúmeros idosos que vivem nestas instituições e penso, com gratidão, a quantos os vão visitar e cuidam deles. As casas para idosos deveriam ser «pulmões» de humanidade num país, num bairro, numa paróquia; deveriam ser «santuários» de humanidade, onde quem for velho e frágil seja curado e defendido como um irmão ou uma irmã mais velha. Faz tão bem ir encontrar um idoso! Olhai os nossos jovens: às vezes vemo-los apáticos e tristes; vão encontrar um idoso e tornam-se alegres!”

“Contudo há também a realidade do abandono dos idosos: quantas vezes se descartam os idosos com atitudes de abandono que são uma verdadeira e própria eutanásia oculta! É o efeito da cultura do descarte que tanto mal faz ao nosso mundo. Descartam-se as crianças, descartam-se os jovens porque não têm trabalho e descartam-se os idosos sob o pretexto de manter um sistema económico «equilibrado», no centro do qual não está a pessoa humana, mas o dinheiro. Todos nós somos chamados a combater esta venenosa cultura do descarte!”

“Nós, cristãos, juntamente com todas as pessoas de boa vontade, somos chamados a construir, com paciência, uma sociedade diversa, mais acolhedora, mais humana, mais inclusiva, que não tenha necessidade de descartar quem é frágil no corpo e na mente; mais, uma sociedade que mede o próprio «passo» precisamente por estas pessoas”.

Como cristãos e como cidadãos, somos chamados a imaginar, com fantasia e sapiência, os caminhos para enfrentar este desafio. Um povo que não guarda os avós e não os trata bem é um povo que não tem futuro! Porque não tem futuro? Porque perde a memória, e se separa das próprias raízes. Mas atenção! Vós tendes a responsabilidade de manter vivas estas raízes em vós mesmos! Com a oração, a leitura do Evangelho, as obras de misericórdia. Assim, permanecemos como árvores vivas, que, mesmo na velhice, não cessam de dar fruto.”

 

Os Papas santos

Ao visitar a Basílica de São Pedro, pudemos reverenciar os dois Papas canonizados neste ano de 2014: São João XXIII e São João Paulo II que agora ganharam espaço dentro da própria Basílica.

Com a ajuda da Irmã Ketty que facilitou as coisas, pudemos também visitar a terra de São João XXIII em Soto i Monti, um lugarejo próximo a Bérgamo. E como Bérgamo fica perto de Brescia (70 km), onde mora a família da Ir.Ketty e de onde vieram meus antepassados, também tive a graça de estar neste lugar. O irmão da Ir.Ketty que nos esperava na Estação de trem, nos levou de carro até Aquafredda, exatamente onde nasceram meus antepassados. E minha emoção foi muito grande por ter encontrado lá um sacerdote com meu sobrenome: Padre Franco Tortelli.

Agradeço a Ir. Leonides Selhorst, Visitadora, a oportunidade de representar a Pastoral da Pessoa Idosa neste importante evento junto com o Papa Francisco, justamente no ano em que a pastoral completa seus 10 anos de missão.

Irmã Terezinha Tortelli, FC