Outubro: "Fazer O Bem! Fazer Bem!" no diálogo entre credos

Educação • 05/10/2016

Tendo como tema inspirador "Fazer o Bem! Fazer Bem", em 2016 assumimos a tarefa de, a cada mês, refletir sobre os diferentes espaços e modos em que nossa presença e ação possam ser canais deste bem que almejamos. Neste mês de outubro, somos convidados/as a lançar nosso olhar sobre as experiências religiosas, vividas nos diferentes credos e espiritualidades, percebendo nesta diversidade de formas de se relacionar com o Sagrado e de expressar a fé, um caminho privilegiado para o diálogo e cooperação. Como mediações de sentido para a existência humana, as religiões são fecundos instrumentos para a promoção da paz, da solidariedade e da justiça ecossocial. Elas nos possibilitam imprimir transcendência às nossas relações, defender e promover a sacralidade da vida, intuindo e reconhecendo a ação amorosa de Deus em nossa história.

No contexto de pluralidade cultural e religiosa em que vivemos, e no qual percebemos tantas posturas de intolerância e desrespeito que, muitas vezes, desembocam em violência física e simbólica, é urgente possibilitarmos um diálogo sincero e proativo entre credos e culturas. Sua diversidade expressa a criatividade do Espírito de Deus e nos recorda que o Mistério em que cremos ultrapassa nossa compreensão, conceitos e estruturas religiosas. Plural por natureza e formada por pessoas ávidas de sabedoria e de encontro, a escola é um espaço único para gestarmos e cultivarmos atitudes e iniciativas de diálogo. Como escola confessional, essa tarefa se configura como uma ação de coerência com nossa identidade e missão: a fé cristã e os valores que lhe acompanham são, essencialmente, um testemunho de diálogo. Em Jesus, Deus estabeleceu sua comunicação/diálogo definitiva e permanente conosco, de modo que, como seus/suas discípulos/as, a pessoa e o projeto do Mestre de Nazaré nos movem a dialogar.

Neste sentido, como Igreja Católica, também celebramos em outubro o mês missionário. Ententemos que a missão da Igreja é evangelizar, ou seja, proclamar a Boa Notícia do Reino de Deus, fonte de vida em abundância para todos/as (cf. Jo 10,10). Todo/a cristão/ã batizado/a, independentemente de seu serviço ou ministério eclesial, é um/a evangelizador/a. Essa missão, contudo, não é sinônimo de proselitismo, buscando trazer o/a outro/a para sua confissão religiosa. É, sobretudo, um testemunho pessoal e comunitário da própria fé, e dos frutos de caridade, acolhida, cuidado, genorosidade, honestidade, ... que ela possibilita na vida de quem crê. Assim, o Mês Missionário (MM) é uma oportunidade de imprimir novo vigor à nossa missionariedade. Em sintonia com a Campanha da Fraternidade Ecumênica (CFE) 2016, o tema escolhido para essa edição do MM - "Cuidar da Casa Comum é nossa missão" - nos recorda que a ação missionária está diretamente interligada com a vida de nossa planeta, casa que nos acolhe e frente à qual temos uma missão urgente e intransferível de cuidado. Ao pensarmos o "Bem" vivido no encontro intercultural e inter-religioso, recordamos que é um único e mesmo planeta que acolhe nossas diversidades, de modo que zelar por ele é tarefa de todos/as.

Pastoral Escolar Vicentina - Província de Curitiba